Skip to main content

Você sabe o que é o Mapa do Turismo Brasileiro? Conhecido por ser um instrumento que reúne municípios que adotam o turismo como estratégia de desenvolvimento, reconhecendo necessidades de investimentos e ações para promover esse setor em cada região turística do Brasil, este já registra 2.542 cidades distribuídas em 322 regiões turísticas na relação deste ano (2022).

Como funciona?

O Mapa do Turismo reúne cidades com caráter turístico genuíno ou por influência. A finalidade é orientar a definição de políticas públicas em favor deste setor, incluindo, por exemplo, o destino dos recursos do Ministério do Turismo para a engenharia e infraestrutura, além das ofertas de cursos de qualificação profissional. 

- Publicidade -

Meio Dia com Jefferson Coronel

Há também uma classificação de A a E no mapa, levando em consideração o desempenho econômico do turismo concomitante com variáveis selecionadas, por exemplo: hospedagem e empregos, estimativas de visitantes nacionais e internacionais, etc.

Quais municípios do AM entraram no Mapa do Turismo Brasileiro?

Anamã, Uarini, Boa Vista do Ramos e Anori: esses quatro municípios do Amazonas foram inseridos no Novo Mapa do Turismo Brasileiro 2019-2021, notícia divulgada pelo Ministério do Turismo (MTur), do Diário Oficial da União (DOU); totalizando 24 cidades amazonenses compondo o novo mapa e foram divididas em sete polos turísticos: Alto Rio Negro, Alto Solimões, Amazônico, Médio Solimões, Uatumã, Saterê e Madeira.

Quais os critérios?

Kethlenn Porto, chefe de Programas e Capacitação da Amazonastur, afirma que os quatro municípios selecionados com o apoio técnico da Amazonastur tiveram essa oportunidade norteando as ações de investimento do MTur no país, com dois novos critérios de adequação:

“A Amazonastur participa na coordenação estadual do Programa de Regionalização do Turismo (PRT) do Mtur, e o Mapa é um instrumento de gestão deste Programa. Então nós, da Amazonastur, acionamos todos os municípios do Mapa de 2017 para se adequarem aos novos critérios, conforme estabelecido na Portaria 192 do Ministério do Turismo. Além disso, quatro novos municípios nos procuraram e, de forma voluntária, aderiram ao Programa de Regionalização e cumpriram as exigências, como a criação de um Conselho Municipal de Turismo; a existência de um órgão responsável pelo turismo no município; a existência de dotação orçamentária para o turismo e de prestadores de serviços incluídos no Cadastur”, explicou a Kethlenn.

Os benefícios para os municípios

A inclusão das cidades no Mapa do Turismo, ainda de acordo com a gestora, abre muitas oportunidades e benefícios para as prefeituras, pois, sem a inclusão no Mapa, os Municípios não podem integrar uma região turística brasileira, nem mesmo receber aporte de recursos do Ministério do Turismo. Kethlenn ressalta também que, se isso acontecer, o município não acessa os projetos e programas previstos por este.

“A prefeitura não poderá acessar editais, contratos de repasse, tampouco a emenda parlamentar. Em síntese, pelo Mapa, o Ministério terá noção de onde empregar melhor os recursos para o desenvolvimento do turismo”, afirma.

Mudanças de verdade

A cidade de Anori, a partir de quando foi elevada à categoria de membro do Novo Mapa do Turismo Brasileiro, começou a se preparar para acessar os recursos federais do turismo, de acordo com o que afirmou o secretário municipal de Turismo do município, Jardel Castro. A figura também alega que, com a aproximação da Amazonastur, mudanças reais aconteceram, em razão do órgão ter mostrado os caminhos e direções a serem tomadas:

“Essa inserção vai nos proporcionar a criação de novas estruturas, resultando em novos atrativos turísticos. Trabalhamos desde 2017 com esse objetivo principal. É uma nova fase para melhorar a nossa categoria. Para Anori, abre um leque para o município”, declarou o secretário.

Atualizações da plataforma

Ao todo, 2.694 cidades de 333 regiões turísticas do país foram incluídas pelo Ministério do Turismo. Conforme o MTur, em 2019, os estados e municípios contaram com novos critérios, compromissos e recomendações estabelecidas pelo órgão, entre elas a obrigação de participação em instância de governança e em Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

Com 2.822 solicitações de atualização de dados ou novos cadastros de prefeituras de fevereiro e março de 2022, a plataforma do Sistema de Informações do Mapa do Turismo Brasileiro (Sismapa) aprova esses registros pelos gestores estaduais de turismo, que depois são verificados pelo Ministério.

A partir de então, os gestores municipais podem rever e atualizar ou cadastrar as informações ou município a qualquer momento, e não de dois em dois anos como antes. Assim, a plataforma de atualizações se mantém aberta durante o ano todo.

Deixe um Comentário