Skip to main content

Quem costuma passear pelo Centro Histórico de Manaus não deixa passar despercebida a imponência do teatro Amazonas. Considerada pela Revista Vogue uma das 15 casas de ópera mais bonitas do planeta, a majestosa construção figura ao lado do Ópera Garnier (Paris) e do Teatro alla Scala (Milão), segundo o periódico. 

Além da beleza arquitetônica de estilo renascentista, que remonta ao período áureo do ciclo da borracha, o teatro ainda é palco de grandes espetáculos, como o Festival Amazonas de Ópera e Festival Amazonas de Jazz

- Publicidade -

Meio Dia com Jefferson Coronel

Mas, para compreender a história do Teatro Amazonas e sua importância para a cultural regional, é preciso viajar ao passado. A FM Onda Digital convida você a fazer esse tour junto com a gente. Vamos lá?

Onde tudo começou

A história do Teatro Amazonas tem relação direta com o ciclo da borracha, época em que a região amazônica vivia uma das mais importantes fases econômicas e sociais do Brasil. A exploração de látex de seringueira tornou a região, em especial Manaus, o centro econômico da época, atraindo atenção de outros países. 

Em meio ao progresso ocasionado pela borracha, a cidade sofreu influência cultural de várias nações da Europa, em especial de Portugal e Inglaterra. Isso se refletiu na urbanização de Manaus, que ganhou prédios, casas e outras construções com características europeias.  
Um dos maiores monumentos do ciclo da borracha é justamente o Teatro Amazonas, construído para atender exclusivamente aos desejos da alta sociedade amazonense da época.

A construção do Teatro Amazonas

O Teatro Amazonas foi inaugurado em 31 de dezembro de 1896, mas sua construção durou aproximadamente quinze anos. 

O projeto original do edifício, considerado ousado, já que toda a matéria prima viria do outro lado do Atlântico, foi apresentado pelo deputado provincial, Antônio José Fernandes Júnior, à Assembleia Provincial, em maio de 1881. 

Venceu a licitação da obra o Gabinete Português de Engenharia e Arquitetura de Lisboa, representado pelo comerciante Antônio de Oliveira Braga. 

Por causa das discussões acerca do terreno ideal para construí-lo, e outras questões logísticas, o início das obras ocorreu somente em 1884, com a inauguração da pedra fundamental. 

Entretanto, a construção andava a passos lentos, até que, sob comando do então governador Eduardo Ribeiro, a edificação ganhou o impulso que precisava para ser entregue.

Detalhes da decoração

Desenhado em estilo renascentista, com detalhes ecléticos, o teatro foi projetado não apenas para ser uma opção de lazer, mas principalmente para aproximar Manaus de uma capital europeia, como Paris. 

Para isso, a maioria da mão de obra técnica foi trazida da Europa e a decoração interna ficou sob responsabilidade do pernambucano Crispim do Amaral e do italiano Domenico de Angelis. 

Outros profissionais, vindos principalmente do continente europeu, foram igualmente importantes. Estamos falando de arquitetos, construtores, escultores, entre outros. 

Já os materiais usados foram diversos: peças de ferro trazidas da Inglaterra, mármores de Carrara, lustres de Murano e telhas da França. Tudo para que a capital do Amazonas tivesse uma casa de época à altura do poderia elite local.

A cúpula de 36 mil peças

Um dos detalhes que mais chamam atenção no Teatro Amazonas é, sem dúvida, a sua cúpula. Composta por 36 mil peças com as cores do Brasil, ela se assemelham às escamas de peixe. O grande domo foi todo fabricado na Europa, com peças trazidas da região de Alsácia, na França. 

Na época da borracha, a cúpula do teatro podia ser vista de praticamente todos os cantos da cidade, atraindo a atenção de quem morava ou visitava a cidade. Atualmente, por causa dos altos edifícios da região central, é preciso chegar um pouco mais perto para contemplar a beleza do teatro.

Outras curiosidades

O salão de espetáculos tem capacidade para 701 pessoas, distribuídas entre a plateia principal e os três pavimentos de camarotes. Mas existem outros salões, menores, dentro do teatro, o que possibilita receber um número maior de visitantes. 

Em um deles, existem espelhos postos no rodapé do salão. De acordo com os guias do prédio, eles serviam para que os cavalheiros admirassem as pernas das damas que dançavam no centro do salão. 
Dentro do teatro, também é possível admirar instrumentos musicais, figurinos usados nas festas da época e outras relíquias preservadas. São peças que ajudam a contar a história do teatro e sua importância para a cidade.

O Teatro Amazonas hoje

Atualmente, o majestoso teatro recebe turistas do mundo todo e em todas as épocas do ano. Também é tradicionalmente usado para grandes espetáculos de óperas, orquestras, danças, apresentações teatrais, shows musicais e festivais, como o Amazonas Filme Festival e Festival Amazonas de Jazz.

Ao longo dos seus quase 130 anos, o Teatro Amazonas já foi palco de grandes apresentações. Entre as mais memoráveis estão a do tenor italiano Luciano Pavarotti, a do quinteto Spice Girls e da banda White Stripes.

Mais que um símbolo de uma das épocas mais prósperas da Amazônia, o Teatro Amazonas representa hoje parte da formação cultural do estado, figurando entre os monumentos mais importantes da história do Brasil.

Deixe um Comentário